domingo, 29 de janeiro de 2012

BBC Sherlock – Ele cai, ele sobrevive! Mas como será que o faz? E porquê? Conheçam as nossas possíveis explicações!

"I want to solve the problem, our problem. The Final Problem. It’s gonna start really soon Sherlock: The Fall. But don’t be scared. Falling’s like flying except there is a more permanent destination." – Jim Moriarty (in “The Reichenbach Fall”)
http://www.johnwatsonblog.co.uk/

Antes de começarmos esta que promete ser uma longa e minuciosa dissertação, é importante avisar que todos os que ainda não assistiram aos episódios da 2ª temporada de “Sherlock”, não devem prosseguir a leitura desta mensagem.
De todos os restantes, fica aqui um pequeno aviso aos verdadeiramente aversos a sploires porque, apesar de não conhecermos, obviamente, a forma como se vai resolver a questão da “Queda” na 3ª temporada, é possível que acertemos em algumas das nossas abundantes teorias.

Se, pelo contrário, discutir este tema é exatamente aquilo por que têm esperado, por favor, prossigam e comentem! Queremos conhecer as vossas teorias e opiniões!

[Cliquem nas imagens para verem em maior tamanho.]

Para melhor entendimento das teorias que se seguem, aconselhamos que revejam com atenção o 3º episódio da 2ª temporada, pelo menos, a partir do momento em que o John regressa a Barts de táxi, e verifiquem as nossas observações:

Após a morte de Moriarty, Sherlock não tem forma de descobrir qual era o sinal que mandaria os atiradores de John, Mrs Hudson e Lestrade embora. A única informação que ele tinha eram as palavras de Jim "Let me give you a little extra incentive. Your friends will die if you don't.", portanto, após a morte de Jim, Sherlock não tem outra hipótese senão “morrer”.
Quando John chega, Sherlock liga-lhe e pede-lhe para ele regressar para o local onde tinha chegado. Naquele momento e ao longo da conversa, ele deixa claro que quer que John permaneça naquele exato local (ler Explicação 1).
Sherlock mente a John, esforçando-se por convencê-lo de que forjara a sua identidade e que cometera os crimes que ele próprio resolvera (ler Explicação 2), enquanto chora (ler Explicação 3). Quando Sherlock se atira (reparem que é mesmo uma pessoa a cair, Benedict estava preso a uma grua e fez uma queda tipo bungee-jumping para cima de um espesso colchão no chão), nós vemos um corpo a bater de face no chão, aparentemente, logo em frente a uma paragem de autocarros. John não consegue vê-lo devido ao pequeno edifício de tijolo e porque, entretanto, é abalroado por um ciclista (ler Explicação 4). Quando, finalmente o vislumbra, o corpo está deitado de lado no chão (ler Explicação 5), em frente à carrinha do lixo (e distante da paragem de autocarros!), que arranca nesse preciso momento (ler Explicação 6).
O corpo que John vê e toca tem a cabeça esmagada do lado direito, face pálida, olhos abertos e parece-se, em todos os aspetos, com Sherlock (ler Explicação 7).
Com a visita de John e Mrs Hudson à campa no cemitério, entendemos que um corpo (ler Explicação 8) foi enterrado, há já algum tempo (reparem que a erva cobre a campa, podemos dizer com segurança que, no mínimo, várias semanas já se passaram).
Por fim, mas não menos importante, é necessário conhecerem este vídeo (requer Expat Shield), publicado no site oficial fictício da BBC no dia da estreia do último episódio. Na reportagem fictícia, a jornalista relata os acontecimentos da forma que o mundo os conheceu, mas não há qualquer referência ao corpo daquele que eles conhecem como “Richard Brooks”, ou seja, tudo indica que o corpo de Moriarty no telhado não foi encontrado (ler Explicação 9).



Explicação 1: É fundamental para que o plano de Sherlock resulte, que John não consiga, de facto, vê-lo cair no pavimento. Ele esforça-se para que o amigo tenha a sua perspetiva dificultada pelo edifício baixo que se encontra mesmo em frente e, depois, por uma suspeita carrinha do lixo.
Explicação 2: Há 2 possíveis explicações para Sherlock mentir a John.
A) Para o proteger; se ele não fingisse uma confissão, John nunca iria aceitar a óbvia conclusão que toda a gente tirou do suicídio - que Sherlock se matara em desespero por ter sido desfalcado e todos os seus crimes revelados – e iria tentar provar a inocência do seu amigo. Se tentasse investigar, poderia pôr-se em perigo e, talvez mesmo acabar por descobrir a verdade acerca da morte de Sherlock.
B) Para ganhar tempo para a queda e para a execução do seu plano. [Falha lógica desta teoria: Se a sua intenção era apenas distrair John e ganhar tempo, Sherlock poderia ter falado de qualquer coisa, até mesmo insistir na sua inocência, não necessitava de ter feito o exato contrário.]
Explicação 3: Sabendo que Sherlock não morre, podíamos suspeitar que as suas lágrimas eram falsas, mas é importante ter em mente que, àquela distância, John não conseguia ver as lágrimas de Sherlock. É seguro concluir que são lágrimas sinceras. No entanto, em primeira mão, se nós sabemos que Sherlock não estava, de facto, a tentar matar-se, porque choraria ele? A explicação que nós achamos ser mais abrangente é que ele está a chorar de culpa e preocupação. Culpa, porque o que ele vai fazer em seguida vai magoar terrivelmente John, especialmente porque ele sabe que tem de o obrigar a assistir ao (suposto) violento suicídio do seu melhor amigo. Preocupação, porque o vai deixar novamente sozinho e não parece ter, de antemão, certezas de que os atiradores baixarão as armas se ele se atirar.
Explicação 4: Reparem que o ciclista já pode ser visto a uma certa distância no momento em que Sherlock se atira. Ele vinha atento a John e podia, facilmente, ter-se desviado a tempo. No entanto, não o faz e abalroa John com bastante violência. Qual o papel deste ciclista?
A) O ciclista fazia parte do plano de Sherlock e a sua função era ganhar tempo, de modo a atrasar o progresso de John até ao corpo e, talvez, desorientá-lo. [Evidências que suportam esta explicação: o ciclista não se desvia e, após deitar John ao chão nem sequer para ou abranda para ver se o magoou ou se precisa de ajuda.]
B) O ciclista não está relacionado. Nesse caso temos duas opções:
B.1) É possível que o ciclista seja apenas um fator gerador de confusão, propositadamente colocado no episódio pelos criadores, cuja única finalidade é distrair os telespectadores de algo muito mais importante que acontece em simultâneo: o arrancar da carrinha do lixo que ocultava o local onde Sherlock teria, supostamente, caído.
B.2) Quando Sherlock pede a John para não tirar os olhos dele, ele podia estar a pedir-lhe isso não para que ele acreditasse na sua morte, mas exatamente para que ele entendesse que ele não morria. Nesse caso, o embate do ciclista impede que John entenda que o verdadeiro Sherlock estava na carrinha do lixo que partia nesse momento do local. [Possíveis falhas desta explicação: Se Sherlock queria que John entendesse que ele sobrevivia 1) Porquê pedir-lhe para ele se manter num local onde teria exatamente a prestativa contrária? – Para enganar o atirador que mirava John? 2) Porquê mentir-lhe acerca da sua identidade? - Pela mesma razão?]
Explicação 5: Quanto a estas diferenças de posicionamento dos 2 corpos podemos concluir 2 coisas.
A) Tratam-se de meros erros de filmagem. Nesse caso teríamos de assumir:
A.1) Que o corpo com a cabeça esmagada é mesmo de Sherlock, o que não seria compatível com a sua sobrevivência.
A.2) Que o corpo que vemos tocar o chão de face já não é Sherlock, mas sim o corpo que depois John vê. Neste caso, Sherlock teria caído dentro da carrinha do lixo quando, simultaneamente, alguém atirava o outro corpo para o pavimento. Ou, alternativamente, cair dentro da carrinha do lixo e, depois, rolar para o pavimento.
B) Não se tratam de erros e são fundamentais à resolução deste enigma. Reparem que Sherlock cai atrás da carrinha do lixo, um pouco distante do local onde depois John vê o corpo. Assim, podíamos assumir:
B.1) Que Sherlock poderia ter caído (tal como o ator o fez) sobre um espesso colchão que não é alcançado pela perspetiva da câmara. Colchão esse que depois seria levado, juntamente com Sherlock incólume, pela carrinha do lixo.
B.2) Que Sherlock cai sobre o colchão referido e, muito rapidamente, maquilha-se e rola para o local onde depois o seu corpo é avistado. O colchão, tal como no primeiro caso, seria retirado pela carrinha do lixo. [É claro que isto implicaria que Sherlock se fingisse morto, o que não seria muito fácil, especialmente com John a medir-lhe a pulsação. De qualquer forma, não podemos excluir totalmente esta opção porque, primeiro, a mão de John é rapidamente afastada por uma das pessoas que tinham corrido a ajudar e, segundo, Sherlock podia ter arranjado uma forma de camuflar a sua pulsação. Conheçam a “Squash Ball Theory”!]
Explicação 6: Como já reparam, nós assumimos que a carrinha do lixo está envolvida no plano de Sherlock, na realidade, damos-lhe um papel fundamental. É possível que a sua presença exista apenas para confundir novamente a audiência e, talvez, para nos distrair de algum outro pormenor, mas parece-nos pouco provável. A nossa razão mais óbvia é que pessoa alguma arrancaria após alguém cair do telhado mesmo à frente dos seus olhos. Esse comportamento é extremamente suspeito. Acreditamos que esta carrinha poderá transportar um colchão de resgate e/ou um corpo que tomará o lugar de Sherlock e, depois, o próprio Sherlock.
Explicação 7: Aqui, novamente, temos várias explicações possíveis:
A) O corpo no pavimento é realmente Sherlock (ler Explicação 5 e a “Squash Ball Theory”).
B) O corpo no pavimento é de Moriarty. [Falhas lógicas desta teoria: Para além do facto de que Jim não se parece nem um pouco com Sherlock, mesmo que estivesse a muito bem caracterizado, como fazê-lo chegar ao chão? Não seria possível ser Sherlock a atirá-lo e a ideia de que alguém o fosse buscar ao telhado, o vestisse, maquilhasse e o transportasse dentro de um hospital até ao pavimento, sem que ninguém visse é, no mínimo, difícil de conceber.]
C) O corpo no pavimento é de um sósia. Nós sabemos que a menina que tinha sido raptada a mando de Moriarty gritou aterrorizada ao avistar Sherlock. Apesar de Moriarty poder ter convencido as crianças de que Sherlock era o verdadeiro mau de quem ele os estava a proteger (e para isso bastaria mostrar-lhes uma fotografia do seu suposto malfeitor), é também possível que, com os seus imensos recursos, Jim tenha encontrado um sósia de Sherlock para fazer o trabalho. Caso Sherlock conseguisse chegar a esse sósia, ele teria um corpo perfeito para tomar o seu lugar no pavimento.
Explicação 8: Um corpo foi enterrado no lugar de Sherlock. Houve um funeral, há uma laje. Concebendo que era possível que, se o funeral fosse realizado com caixão fechado, o mesmo estivesse vazio, nós acreditamos que isso não aconteceu. O corpo dentro do caixão fechado podia pertencer a uma de duas pessoas:
A) Ao sósia, se ele de facto existe, mas isso implicaria que o mesmo tivesse sido assassinado.
B) A Moriarty (ler Explicação 9).
Explicação 9: Para além de isto nos dizer que o resto do mundo, incluindo John, desconhece o confronto que se desenrolou entre os dois naquele dia no telhado, também nos diz que nenhum corpo ou sinais de um corpo (reparem que a cabeça de Moriarty sangrou bastante) foi encontrado. Considerando que, quase todos os suicídios são seguidos pelo menos por um curto inquérito judicial, é inconcebível que um corpo no telhado de um hospital, com aparente livre acesso, não fosse encontrado mais cedo ou mais tarde. Aqui temos duas explicações possíveis:
A) Moriarty não morreu e tratou de apagar todas as evidências da sua presença do telhado quando desapareceu. [Falha lógica desta teoria: Para além de vermos Moriarty pôr fim à sua própria vida, temos vários vislumbres do seu corpo morto, pálido e a esvair-se em sangue. Ao contrário do que acontece com a suposta morte de Sherlock, não existe nada suspeito, nada em que os criadores pudessem pegar para trazer Jim de volta. Além de tudo isto, considerando a fidelidade dos autores aos livros de Doyle, Moriarty morre, de facto, nesta aventura.]
B) Moriarty morreu. Nesse caso temos duas possíveis explicações para o desaparecimento do seu corpo.
B.1) Os homens de Moriarty foram buscá-lo. [Falha lógica desta teoria: Tudo indica que os homens não sabem o que Jim fez e, caso soubessem, deixar o corpo lá para que Sherlock fosse de alguma forma também responsabilizado pela morte do inocente Richard Brooks, seria a opção óbvia.]
B.1) O desaparecimento do corpo de Moriarty foi, de alguma forma, responsabilidade de Sherlock. Reparem que, se os homens de Moriarty soubessem que o seu chefe tinha morrido, era muito provável que, nem que fosse apenas para vingar a sua morte, acabassem por cumprir as suas últimas ordens e matar John, Mrs Hudson e Lestrade. Sherlock não podia permitir que isso acontecesse. Por isso, de alguma forma, ele conseguiu que o seu corpo desaparecesse e nenhum sítio seria melhor para o esconder do que o seu próprio caixão.



Conjugando teorias, eis o que fica!
(Colaboração externa – Maturin e o0Luthien0o)


SH: You're wrong, you know? You do count. You've always counted and I've always trusted you. But you were right. I'm not ok.
MH: Tell me what's wrong.
SH: Molly...I think I'm going to die.
MH: What do you need?
SH: If I wasn't everything you think I am, everything that I think I am...would you still want to help me?
MH: What do you need?
SH: You.”
(in “The Reichenbach Fall”)

De todas as pessoas, Molly seria provavelmente aquela que, depois de John, nunca acreditaria que Sherlock fosse uma farsa. Não porque o conhecia melhor do que ninguém, mas porque ela namorara e apresentara a Sherlock um homem que ela conheceu, desde o início, como Jim Moriarty. Se alguma vez houvesse um julgamento em que a identidade Richard Brooks fosse posta em causa, Molly seria a mais forte (e provavelmente, a única) testemunha.

Uma discreta médica legista/anatomopatologista com acesso a corpos não reclamados, não identificados, com a capacidade de, facilmente, forjar uma certidão de óbito, com acesso a todo o tipo de drogas, nomeadamente alguma que permitisse a Sherlock parecer morto… poderia Sherlock encontrar melhor cúmplice para fingir a sua morte?
Defendemos que Molly ajudou Sherlock, no entanto, não achamos possível que ela tenha feito tudo sozinha.
Achamos que Sherlock consegue apanhar o sósia que Moriarty encontrara para raptar as crianças (ler Explicação 7-C), se não pelos seus próprios meios, pedindo ajuda a Mycroft (*). Assim, ameaçando-o com a denúncia à polícia, Sherlock convencê-lo-ia a tomar uma droga que simulasse os sintomas da morte, a tomar o seu lugar no chão e a ser encaminhado para a morgue, onde o seu corpo seria substituído pelo de Moriarty, podendo depois partir em liberdade. Este homem não revelaria esta cooperação aos homens de Moriarty pois decerto estes procederiam à sua eliminação, de modo que o segredo de Sherlock estaria seguro.
Alternativamente, usando o mesmo método e talvez a misteriosa bola de borracha no antebraço, Sherlock seria, de facto, o corpo aparentemente morto no pavimento (ler Explicação 5). Achamos que esta é a opção mais provável. No entanto, essa explicação gera duas questões: Seria Sherlock assim tão rápido para se maquilhar de forma tão convincente e tomar uma droga que levaria certamente algum tempo a ter efeito? Ou não haveria droga nenhuma, apenas a pequena bola de borracha, e Sherlock estivesse a fazer uma performance e tanto, fingindo-se de morto?

Independentemente da explicação a estas questões, nós acreditamos que o verdadeiro Sherlock se atirou do telhado e aterrou dentro da carrinha do lixo/sobre um colchão ocultado pela mesma e que esta continha todos os utensílios necessários ao plano de Sherlock, nomeadamente o corpo do sósia, se realmente houve um.
É claro que, independentemente da explicação, Sherlock tinha de ter cúmplices no pavimento, pois seria inconcebível que ninguém nas redondezas de um hospital em funcionamento avistasse a queda no colchão ou dentro da carrinha ou a colocação do corpo substituto. Nós acreditamos que todas as pessoas a que Moriarty se refere como “audiência” e todos os paramédicos que rapidamente acodem e afastam o corpo de John são, de facto, cúmplices de Sherlock (*), bem como o ciclista que atira John ao chão, cuja função seria tentar atrasar a chegada de John ao corpo o suficiente para este ser retirado do pavimento e impedir que John tentasse ajudar e percebesse que Sherlock estava, de facto, vivo.

Reparem que, entre os paramédicos, há um homem que coloca imediatamente a mão no pescoço de Sherlock para procurar a sua pulsação e, por isso, John só consegue medir a mesma no pulso do amigo, pulso esse que, se a teoria da bola de borracha ou da droga simuladora da morte estiverem certas, estaria suficientemente impercetível para não ser detetado. Além disso, lembrem-se que a mão experiente de John é rapidamente retirada por uma das senhoras da pequena multidão.

Molly esperaria o corpo na morgue, falsificaria uma autópsia, forjaria uma certidão de óbito e, quando toda a atenção se tivesse afastado, deixaria o vivo (Sherlock ou o sósia) sair “pelas traseiras” e substitui-lo-ia pelo corpo de Moriarty, que seria então enterrado no lugar de Sherlock. Mas então, estando Molly ocupada com a interceção do corpo, quem seria capaz de ir buscar Moriarty de forma suficientemente limpa, discreta e rápida antes da polícia ou outras pessoas se dirigirem ao telhado? E mais, quem conduziria a carrinha que, segundo a nossa teoria, teve um papel fundamental no plano de Sherlock? E quem eram os vários cúmplices no pavimento responsáveis por manter possíveis testemunhas afastadas?
Apesar de aceitarmos que essas pessoas podiam fazer parte da rede de sem-abrigo de Sherlock, achamos que essa é uma explicação pouco provável, pois dificilmente teriam uma tão grande eficácia, coordenação e sigilismo, de modo que temos quase a certeza de que eram todos homens de Mycroft (*) e, por isso, agentes secretos que muito dificilmente revelariam a verdade a quem quer que fosse.

Assim, um funeral com caixão fechado, justificado pelas chocantes lesões no corpo e pela transfiguração da autópsia levariam Moriarty para debaixo da terra, sem que os seus colaboradores e subordinados soubessem da morte dele. Mas como seria possível essa farsa durar muito tempo? No momento em que se compreendesse que Moriarty morrera, compreender-se-ia também que Sherlock tinha de estar vivo, o que deitaria todo o esforço de Sherlock por terra e poria todos os seus amigos em perigo. Sherlock não podia permitir que isso acontecesse, por isso, nós acreditamos que, muito para além de ter feito o corpo do psicopata desaparecer, Sherlock fez-se passar por ele!
Reparem, não seria difícil: Quase ninguém conhecia Moriarty pessoalmente, ele é descrito nos episódios anteriores como “um nome sem cara”. Sabemos, a partir do 2º episódio da 1ª temporada, que ele comandava a maioria dos seus planos por mensagens ou sistemas de chat. Bastava que Sherlock conseguisse infiltrar-se no sistema para conseguir fazer-se passar pelo criminoso, assegurar-se de que John, Mrs Hudson e Lestrade estariam seguros e começar a destruir a rede criminosa por dentro.

(*) Quando, durante a fuga de Sherock e John algemados, o segundo refere que deviam pedir ajuda a Mycroft, Sherlock mostra-se relutante e dá a entender que não o fará. Depois, quando, após a suposta morte de Sherlock, Mycroft parece afetado ao ler a notícia no jornal, poderíamos concluir que ele não teve nada a ver com o plano do irmão. No entanto, achamos essa ideia inconcebível, Mycroft teve de estar envolvido. Acreditamos que a reação de Mycroft tenha sido, não de culpa ou remorso mas de preocupação. Porque, apesar de Sherlock ter conseguido forjar a sua morte de forma eficaz, a sua situação de defunto-culpado-de-todos-os-crimes-que-fingiu-resolver não é propriamente a mais segura, além de que, se associada ao desaparecimento de Moriarty, poderia alertar os seus associados de que era falsa, o que colocaria não só Sherlock, mas uma quantidade de outras pessoas em perigo.

Além disso, acreditamos que o facto de Sherlock ir pedir ajuda a Mycroft poderia ser exatamente aquilo a que Steven Moffat se referia quando disse que Sherlock fez algo deslocado da personalidade da personagem.



Questões sem resposta…
...1 - Muitos de nós partilhavam certamente a ideia de que Mycroft era tão (ou talvez até mais) inteligente do que Sherlock, então porque faria ele uma coisa tão estúpida como revelar a Moriarty informações valiosas sobre Sherlock e depois libertá-lo com todo o poder necessário à destruição do seu próprio irmão? E sem, aparentemente, conseguir nada em troca? Faria isso, na realidade, parte de um plano maior, já previamente orquestrado entre os dois irmãos para conseguirem destruir a rede criminosa do Consultor Criminal?! Será que todos os encontros entre Mycroft e John, a tristeza antecipada de Sherlock e mesmo a sua aparente relutância em pedir ajuda a Mycroft não passaram de representações pensadas para dar credibilidade ao plano que estavam a desenvolver?!!
…2 - Porque é que Sherlock pede a John para ele contar também a Molly sobre a sua falsa culpa? Ele poderia ter-lhe pedido para contar a toda a gente, mas pede-lhe especificamente para contar também a Molly! Porque faria ele isso quando, para manter a farsa da sua morte, o mais seguro seria manter John afastado de Molly, que sabia de tudo? A não ser que… Sherlock não quisesse manter a farsa durante muito tempo e as suas verdadeiras intenções fossem que, assim que John se dirigisse mais tarde a Molly, ficasse a saber a verdade. No entanto, semanas depois da morte, John ainda não sabe a verdade… Onde está Molly? Porque é que, se era esse o plano de Sherlock, ela não o cumpriu?


Outras teorias muito interessantes:
[Editado 22/10/2012]
  • The Final Problem - Theory Index (imensas teorias, para todos os gostos; podem encontrar a tradução PT-BR de algumas delas aqui)
  • Hidden Phone Theory (uma das mais brilhantes teorias que vimos até agora, temos a sensação que poderá ser uma teoria vencedora; podem lê-la na tradução PT-BR aqui)
(Fonte)

 
E assim deixamos aberta a discussão! Por favor comentem, critiquem e esmiúcem as explicações deste quebra-cabeças. Falem-nos das vossas próprias explicações e espectativas! O que é que vocês acham?


A equipa.
Fiquem a saber tudo o que nós sabemos acerca da 3ª temporada, consultando a nossa categoria Sherlock 3ª temp.

19 comentários:

ascronicasdacris disse...

Brilhante :o
Nossa concordo com tudo o que foi dito.

Mas enquanto estava a ler a parte final de "as suas verdadeiras intenções fossem que, assim que John se dirigisse mais tarde a Molly, ficasse a saber a verdade." eu pensei no que o John diz no cemitério para ele não estar morto, fazer aquilo por ele, ele pode querer dizer para o Sherlock mostrar-se também a ele como fez, possivelmente à Molly, ela pode já lhe ter contado que ele estava vivo. Então o John sabe que o Sherlock está aí a ouvi-lo e fala para a campa mas na verdade está a falar para ele. E quando ele toca na lapide, pode estar a fazer um sinal com os dedos, assim como o Moriarty fez no sofá do predio dele. Só que claro o John tem que falar com a psicologa dele e com Mrs Hudson como se Sherlock tivesse morto. Enfim só uma ideia muito confusa que me deus agora xD

Resumindo adorei este post.

Letícia disse...

Molly é a pessoa perfeita para acobertar Sherlock, ela mesma passa desapercebida pela maioria do elenco, talvez tenham feito isso para suprir a relação difícil que Mycroft tem com seu irmão mais novo, o que não acontece nos livros... E aquele site sobre a inocência de Richard Brooks??? Acho estranho lançarem mão disso agora, acredito que eles tentem surpreender com Moriarty ser, na verdade, uma organização e não somente uma pessoa, ou aquele cara ser realmente um ator e não o grande vilão que haveria planejado tudo de fato não sujara as mãos...

Anónimo disse...

Vcs levam isto mesmo a sério!
Está muito bom, fiquei com alguns nós no cérebro, ms acho que disseram tudo o que podia ser dito.

Snail Trail disse...

Respondendo a Cris:
É uma boa teoria! =) Na realidade, nós pensamos seriamente em algo parecido, mas acabamos por colocar essa possibilidade na categoria de “Questões sem resposta” porque John parece sinceramente triste e, se ele soubesse que Sherlock estava vivo e estivesse apenas a fingir, não haveria necessidade de fingi-lo no cemitério. Além disso, mais uma vez, se Sherlock queria que John soubesse a verdade, porquê pedir-lhe para ele se posicionar num local onde teria exatamente a ideia contrária? E, mesmo que isso tudo fosse apenas para enganar o atirador, nós sabemos que John não fez o que Sherlock lhe pediu: ele foi-se embora sem ter entrado em Barts e falado com Molly (que, hipoteticamente, lhe diria logo a verdade) e recusou-se a dizer às pessoas que Sherlock era uma farsa, na realidade, fez exatamente o contrário (http://www.johnwatsonblog.co.uk/blog/16ajune). John não seguiu as instruções que Sherlock lhe deu. Talvez seja essa a razão para ele ainda não saber a verdade. Mas não podemos ter a certeza, são questões sem resposta! ;)

Respondendo a Letícia:
Nas histórias originais, Moriarty era a cabeça de uma perigosa e complicada organização criminal, era ele que comandava essa organização “como uma aranha”, mas, de facto, no fim, Moriarty aparece e suja as suas mãos, tentando matar Holmes ele próprio e acabando por morrer nessa tentativa. É possível que os criadores da série sigam outra linha na história e tornem aquele que nós conhecemos como Jim Moriarty apenas um “bode expiatório”, mas pensamos que isso é pouco provável porque, até agora, os criadores têm-se mantido muito féis às histórias originais. De qualquer forma, é uma teoria muito interessante.

Respondendo a Anónimo:
Obrigada!
Esperamos que, entretanto, tenha conseguido desfazer esses nós! XD

Lika disse...

Até comecei a ler o texto, vcs realmente pegaram muitos detalhes, mas no meio me dei conta q realmente tudo parecia bem certo, e não me senti confortavel com 'spoilers' rsrs quero guardar a surpresa pra próxima temporada mesmo! =p

Snail Trail disse...

Agradecemos por achar que podemos estar certos! =) Seria muito engraçado se conseguíssemos realmente acertar em alguma coisa, mas tenho a certeza que os criadores nos surpreenderão mais uma vez!

E, claro, se não se sente bem com possíveis spoilers, não se force a ler! ;) Obrigada pela tentativa, de qualquer forma!

PHS.

Drakyma disse...

Só algo a dizer: WOW!
haha, to adorando este blog!

Letícia disse...

Sim, sim... eu li as histórias originais e, pensando por esse lado, a ideia era continuar com as mãos limpas para a sociedade, Sherlock Holmes cairia, morreria e tudo pareceria um acidente... Mas penso em Moriarty como uma máfia, na verdade, onde a face do chefão fosse um mistério até mesmo para os seus membros... A série se mantém fiel aos elementos essenciais da obra original, mas ainda assim, devem adaptá-la para o que temos disponível hoje (o que fizeram brilhantemente com o Cão dos Baskervilles)... Todas as teorias são válidas até a próxima temporada...

Parabéns pelo blog!!!! ^^

Tati disse...

Wow!! Grande post, conjugando todas as teorias sobre a "morte" de Sherlock! Conhecia apenas algumas, e foi muito interessante todos os pontos que vcs colocaram, e a explicação dada por cada teoria, de modo que não ficasse confuso.

Tem uma outra teoria que eu li por aí é a de que a coisa que o Sherlock fez que fora de sua personalidade é o fato de ele pedir para Moriarty se explicar: talvez ele teria feito isso, porque, de alguma forma, estava filmando/gravando tudo, e assim pudesse limpar o seu nome. Quem sabe? Não tenho a mínima idéia, mas é muito divertido ler todas essas teorias. ;)

Snail Trail disse...

Obrigada a todos!
E, claro, todas as teorias são válidas! ;)
Essa é uma teoria curiosa, Tati, podia ser sim...

Pessoalmente, acho que os criadores ainda nos vão conseguir surpreender imenso, lembrem-se de que eles resolveram o 1º cliffhanger com o toque de um telemóvel!!! XD

PHS.

Anónimo disse...

Wow...

Anónimo disse...

E se este John souber que Sherlock não está morto?
O argumento de Holmes no clássico é que não conta a Watson por ele ser um terrível ator e ele precisar de uma dor sincera para enganar a rede do Professor de que está realmente morto.

Mas... e se este John for melhor ator que o antigo Watson? E se a cena com a terapeuta, a cena no cemitério... e se tudo isso for uma representação para enganar a rede de Moriarty? Sabendo que estava a ser vigiado, John só precisaria de fingir. Sabendo que havia outras vidas em jogo para além da sua, será que isso seria incentivo suficiente para tornar John um ator merecedor de um Óscar?

Snail Trail disse...

Teoria interessante! =) No canon, Watson é sempre definido como uma pessoa incapaz de ser falsa, incapaz de fingir ou representar, mas talvez este John seja diferente. Sim, talvez seja possível, quem sabe... ;)

PHS.

Anónimo disse...

Que. Post. Brilhante.
Na hora que assisti ao episodio fiquei tão atordoada com as lagrimas do Sherlock e com contexto principal do seu suposto suicidio que nem prestei atenção nos detalhes da cena. Adorei ler teorias tão interessantes. Mal posso esperar pela terceira temporada!! :))

Snail Trail disse...

Obrigada em nome de toda a equipa do blog e também em nome das nossas queridas colaboradoras externas. ^^

Siga as últimas notícias sobre a 3ª temporada da série através da nossa etiqueta Sherlock 3ª temp. .

PHS.

AnnaKawaii disse...

Perfeito e muito criativo! Parabéns pelo ótimo trabalho!

Snail Trail disse...

Obrigada em nome de todos. =D

PHS.

Anónimo disse...

20 pontos pra vcs! acertaram em ks td!

Snail Trail disse...

Bem, no meio de tantas opções possíveis, era estranho não acertarmos em alguma coisa. XD
Mas estamos satisfeitos, sim.
E, no seu todo, foi um excelente episódio. Mais do que excelente. (*_*)

Enviar um comentário

Os 3 visitantes com mais comentários aparecerão no nosso Top Comentadores!
(Para seguir os comentários desta mensagem, clique em "Notificar-me" antes de publicar o seu comentário.)